2006 – Texto de Mário Margutti para o catálogo da exposição individual na Galeria Márcio Barrozo do Amaral (9 de novembro a 2 de dezembro de 2006)

2006 – Exposição Individual na Galeria Marcia Barrozo do Amaral, Rio de Janeiro
2006 – Exposição Individual na Galeria Marcia Barrozo do Amaral, Rio de Janeiro

“Por causa de sua forma esférica, o filósofo Platão comparava a cabeça humana a um universo, um microcosmo. Através dos tempos, a cabeça simbolizou uma síntese do ser humano, do seu princípio ativo (para alguns, a mente; para outros, o espírito que comanda o corpo). Assim se confundem, no simbolismo da cabeça, os sentidos de unidade e de perfeição. A cabeça é um Sol, uma divindade em miniatura. É dessa forma arquetipal, que vem de tempos imemoriais, que brota o interesse dos escultores de todas as épocas por essa parte do corpo humano – virtualmente a principal. Através de sua arte, Evandro Carneiro arquiteta cabeças de diversas linhagens estéticas, que refletem suas pesquisas que ardem no fogo da tensão entre figuração, articulação de elementos estruturais e a síntese maior da abstração.”

Galeria Márcia Barrozo do Amaral, 9 de novembro a 2 de dezembro de 2006
Texto de Mário Margutti para o catálogo da exposição