2000 – Texto de Marcus Vieira ZXC no folder da exposição individual de Evandro Carneiro na Marcus L. Vieira Galeria de Arte (7 de junho a 7 de julho de 2000)

2000 – Exposição Individual na Galeria Marcus L. Vieira, Belo Horizonte
2000 – Exposição Individual na Galeria Marcus L. Vieira, Belo Horizonte

“Em algumas visitas ao ateliê de Evandro Carneiro, no Rio, sempre na companhia equilibrada da escultora Sonia Ebling, fiquei surpreso com a vitalidade e sobretudo com a grande diversidade do que o artista me propunha. Então nasceu a ideia de dividir esta exposição em dois conjuntos, o que foi sugerido e favorecido pelo número elevado de trabalhos. Embora bem diversas, são duas seções que se intercambiam e se complementam. O tratamento, de superfície e pátina, é uniforme. Com esta divisão, procurei dar uma ideia do caminho de Evandro nos últimos anos, uma leitura possível desta obra tão múltipla.

A seção maior é composta por trabalhos mais recentes. São figuras alongadas, por vezes sobrepostas umas às outras, que ondulam numa espacialidade ascendente. As formas, sensuais, têm textura lisa nas cores preta ou marrom. A seção menor traz esculturas anteriores a 1990. Como indicava o crítico Frederico Morais, em texto de 1992, são ‘obras que guardam uma aura clássica, mas já freqüentam o território da arte moderna ou mesmo pós-moderna’.

Para este catálogo, realizou-se uma pequena antologia de poesia brasileira contemporânea, com seleção do crítico de literatura André Seffrin, admirador da obra e amigo do artista. Nesta amizade, poesia e escultura se irmanam na linhagem intensa da arte.

Assim, é com alegria e satisfação que apresentamos a obra plural de Evandro Carneiro, inserindo-se na crescente valorizacão de Belo Horizonte como pólo acolhedor e irradiador dos mais diversos segmentos culturais.”

Marcus L. Vieira Galeria de Arte, 7 de junho a 7 de julho de 2000
Por Marcus Vieira ZXC